Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Eu e a Outra

Coisas maravilhosas, coisas assustadoras, viagens exóticas, dia-a-dia monótono, bichinhos tropicais e muito amor. Ponham-se confortáveis que vamos começar.

Eu e a Outra

Coisas maravilhosas, coisas assustadoras, viagens exóticas, dia-a-dia monótono, bichinhos tropicais e muito amor. Ponham-se confortáveis que vamos começar.

Pst, venham conhecer o psi.

05.02.19, Eu e a Outra
No sábado fomos conhecer o restaurante vegetariano Psi. Foi um daqueles momentos de abrir a app do Zomato Gold e escolher um restaurante vegetariano para experimentarmos. O que mais nos fez querer ir lá foi, sem dúvida, as fotografias, tanto da comida como do ambiente. Era só cor por todo o lado, o verde do parque onde o restaurante está inserido, cores deliciosas nos pratos, a (...)

Viajar precisa-se.

01.02.19, Eu e a Outra
Este blog está a precisar de umas fotografias bonitas, relatos de viagens quentes e vídeos de natureza que nos fazem querer sair do sofá. Enquanto a chuva não se vai embora, fica mesmo só a necessidade. Ou então tenho de ir ao baú e fazer tudo em modo throwback.  A rubrica De Malas à Porta anda nas ruas da amargura. Isto de ter de trabalhar e não poder viajar é muito chato. 

Isto é amor #1

30.01.19, Eu e a Outra
A coisa que ele mais gosta no nosso carro são as jantes. Disse-lhe que tinha riscado (e bem) uma delas, e ele respondeu: "Não faz mal, manda-se arranjar".    Se fosse ao contrário, será que eu seria assim tão compreensiva? Claro, mas só depois do comentário da praxe "Fogo, és sempre a mesma coisa, não tens cuidado nenhum".   Está provado que ele é melhor pessoa do que eu.

A massagem do demónio

28.01.19, Eu e a Outra
Como contei aqui, tenho feito massagem anti-celulítica uma vez por semana. Da primeira vez fiquei com nódoas negras na coxa esquerda, mas eu senti quando me magoaram, foi num único movimento, eu queixei-me, a esteticista pediu desculpa e  o resto do tratamento foi tranquilo.    Quando voltei para o segundo tratamento, foi outra esteticista a atender-me, mas a da primeira vez viu as (...)