Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Eu e a Outra

Coisas maravilhosas, coisas assustadoras, viagens exóticas, dia-a-dia monótono, bichinhos tropicais e muito amor. Ponham-se confortáveis que vamos começar.

Eu e a Outra

Coisas maravilhosas, coisas assustadoras, viagens exóticas, dia-a-dia monótono, bichinhos tropicais e muito amor. Ponham-se confortáveis que vamos começar.

Sim, sou feliz.

08.07.18, Eu e a Outra

No seguimento deste post do Triptofano, dei por mim a avaliar a minha definição de felicidade. E cheguei à conclusão que

 

sou feliz, mesmo quando não o estou. 

 

Não, não fiquei maluquinha. Simplesmente acho que ser é diferente de estar.

 

Eu sou feliz porque eu gosto completamente da minha vida. Sonho que algumas coisas sejam diferentes, mas não mudava nada porque sei que estou a ir para onde quero ir e tenho a melhor pessoa do mundo a meu lado para o fazer. Isso é tudo o que verdadeiramente importa. Estou bem resolvida.

 

No entanto não estou feliz todos os dias, nem todas as horas, nem sequer a maior parte dos dias nem a maior parte das horas. Tenho problemas como toda a gente, tenho preguiça, tristeza, desânimo, dores nas costas e nas pernas e nos rins. Sonho com as férias, com a praia, com um abraço apertado quando estou sozinha. Desespero pelo e-mail que demora a chegar e faço planos para o dia em que vou comer melhor, vestir melhor, andar melhor, parecer melhor. 

 

Ser feliz vem de dentro, é um misto de contentamento, aceitação e tranquilidade e pode durar para sempre. Mas querer estar feliz a todos os momentos pode ser meio caminho andado para uma vida de instaisfação e descontentamento. 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.